segunda-feira, 12 de março de 2012

Espaço Vazio Entre Nós!



Quero controlar o ciúme. Mas ainda não consigo!
Por dentro quero fazer ceninhas e dizer
coisas entaladas aqui, por fora disfarço.
Não me exalto, é um cinismo misturado ao
auto controle.
Sinto ciúme e dizem que desperto ciúme,
mas se o faço é de maneira natural,
e não provocação.

Mas de lá pra cá, penso que algumas situações
foram propositais.
Uma espécie de vingança de uma mente
que acredita mais nos outros do que em mim.

E gente para fazer a ponte entre o que viram 
e o que realmente aconteceu, brotam como
erva daninha.

Dois dias que pra mim foram de saudade,
pra ele de desconfiança.
E o espaço na cama, na noite passada me pareceu
tão imenso no meio de nós dois.


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A ociosidade não me cansa.


Não considero isso um crime, porque a vida é boa assim.
E para mudar um pouquinho o rumo em 2012, tive que adequar
à minha rotina algo que antes de mais nada me desse prazer.
Continuo não abrindo as faturas dos cartões de crédito.
Não é sacrifício ter quem as pague pra mim.

Tenho andado por ai distribuindo sorrisos 
e gentilezas, tudo grátis!

E ainda sinto um frio na barriga ao imaginar que em poucos 
dias passarei de desocupada à dona de República.

A República da tia San. [Para Maiores, naturalmente]

Não, não comi cogumelos alucinógenos.
Meu analista diz que devo mudar, andei observando
o consultório dele nos últimos anos;
tudo igual, incluindo o Divã.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Separados...


É ainda meio inacreditável pra mim que realmente nosso
relacionamento tenha acabado.
É como se isso fosse apenas uma fase de desencontro
que em breve irá acabar.
Quando voltei pra casa sexta feira, nada mais havia dele
aqui, nenhum objeto, nenhuma peça de roupa, nada...

O que vivemos não foi motivo suficiente para continuarmos
juntos, mas eu o queria morando aqui, junto com todos
os outros, nunca soube deixar as pessoas irem embora,
mas o Di se foi...

E agora nesse momento, vendo-o on no msn,
fico me perguntando; com quem ele está falando...

Não que eu esteja infeliz com quem estou,
não que esteja me faltando carinho ou atenção,
quem está comigo faz de tudo pra me ver bem,
mas pra mim, os mais complicados me seduzem mais...

Neste fim de semana iremos nos encontrar por ocasião
da exposição do seu Fernando.
Meu coração dispara ao pensar na possibilidade de rever
o meu menino dos olhos azuis...

Quem inventou a monogamia merecia arder no fogo do Inferno,
mas o inferno não existe, então...

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Relembrando e Reencontrando Amigos!


Há tanto tempo eu não ia ao ap do Le,
desde que ele veio morar conosco definitivamente,
fui poucas vezes lá, e é tão agradável, uma pena estar fechado,
sem vida. Não, não quero morar lá.
Meus filhos precisam deste apartamento aqui para chamarem de "seu".
Mas estar lá naquele lugar onde já vivi, onde engravidei da Sophia,
onde comecei a me envolver com o Di,
estar lá hoje me encheu de lembranças, nem boas nem ruins,
apenas lembranças de momentos onde acho que a insanidade
era mais nítida em mim.
E hoje ficamos relembrando quando o lugar parecia
um hotel, era um entra e sai de amigos que nem dá pra descrever.

E já que estávamos perto fomos até o Pier, pro Le rever
os skatitas amigos dele, alguns são meus amigos também,
outros eu odeio porque muita coisa podre que aconteceu
foi por causa desses "amigos".
Mas revi 3 de quem eu estava com muita saudade.
Amo aquele lugar. Amo aqueles degraus de madeira,
amo ver os jovens despreocupados circulando por ali!
O cheiro do mar sempre me encanta, e a tarde estava linda.

Me senti um pouco livre hoje, mesmo sabendo que eu não poderia
dar mais do que 2 passos sozinha.

O frango está no forno, pelo aroma deve estar pronto.
Dois  convidados especiais virão para o jantar, não fui eu que os convidei,
foi meu filho mais velho, mas como dizem que ele é meu cúmplice,
amanhã isso me trará problemas, mas amanhã é amanhã,
e hoje estou ansiosa, porque só de estarmos no mesmo ambiente
já fico toda trêmula, e é inevitável me questionar;
por que as coisas tinham que tomar o rumo que tomaram?
O Di estava calmo hoje durante o dia, e falou pra eu pensar
a respeito do que ele quer que eu faça semana que vem,
quando ele voltar pra facul em SP, que eu fique a semana
inteira com a mãe dele em Bertioga.
Tudo, menos isso...
(mas ainda não tive coragem de falar)

» Sandra Ribeiro.




domingo, 31 de julho de 2011

Voltando Pra Casa!


Daqui há pouco será a hora de voltarmos para Santos.
Estou com tanta saudade dos meus filhos.
Se não fosse por eles eu poderia ficar aqui por muito tempo,
parece um lugar saído de sonhos, é tão civilizado e tão limpo.
(E tão caro, kkkkkkkkkkkk).
9 dias longe do meu apartamento, gosto muito dele,
e amanhã voltarei à rotina da minha vidinha.

Meu filho mais velho foi buscar meu filho caçula na casa da Avó
no interior de São Paulo, neste momento estão na estrada,
e já fiquei sabendo que o caçula está passando mal,
vomitou e teve febre, estou preocupada.

Amanhã recomeçam as aulas dele, mas do jeito que o tempo
passa depressa, daqui há pouco já será férias novamente!

E terça feira recomeçam as aulas da faculdade do Di,
ele está com raiva disso e já avisou que irá faltar na primeira semana.

» Sandra Ribeiro


quinta-feira, 28 de julho de 2011

A Saga da Ovelha Gay!!!!


Tenho muitos perfis lotados com 1.000 amigos no orkut.
Não tomo a iniciativa para adicionar ninguém,
mantenho a linha orgulhosa de sempre, porém todos os
dias meus perfis recebem dezenas de pedidos de novas amizades.
Quando não são membros das minhas comunidades, ou leitores
dos meus rabiscos eu recuso, porque mal tenho tempo de me
dedicar aos que têm a ver comigo, então os que surgem do nada
são recusados. Diante de mais um perfil lotado criei há POUCOS
dias mais um para agradar o povo que adora ver minha imagem fake
em suas páginas, porém coloquei no meu quem sou,
uma gif de uma ovelha gay.

Meus fãs sumiram, os que me elogiavam sumiram,
os que imploravam pra eu add sumiram!
Bando de preconceituosos hipócritas!
A ovelha é gay, eu sou hetero, e se eu fosse gay?
Qual seria o problema?
Sou firmemente hétero porque mulher nunca me atraiu,
escrevo contos lésbicos e depois fico pensando, será que mulheres
fazem isso mesmo? Porém, respeito e incentivo gays e CIA
a buscarem a felicidade independente de ser homem, com homem,
mulher com mulher, ou para quem gosta animais.

Uma ovelha gay incomodou tanta gente.
E aposto que tem em seus perfis como amigos, gays enrustidos,
assassinos, pedófilos, e um tantão de gente falsa.

Hoje eu retirei a ovelha do meu perfil, porque deu vontade,
e agora vai voltar a chover fãs pedindo pra me add,
que engano deles...Remover ou postar a ovelha não vai
mudar a minha essência.
» Sandra Ribeiro

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Uma Viagem a Três!


Pensei que nem fosse acontecer mais a nossa viagem,
com a avó dele internada, adiamos a viagem.
Vai ser amanhã, saída prevista 6:30 da manhã.
Não estou sentindo ansiedade desta vez.
Embora eu queira muito esse tempo para nós.

Uma casa foi alugada, teremos mais privacidade do que
em um hotel naturalmente.
Foi difícil chegarmos à um acordo sobre o uso da internet,
queriam que eu parasse de usar, mas eles falaram que não
podem abrir mão de seus notbooks porque precisam cuidar
de coisas importantes.
Ahhhh eu também agora mais do que nunca, tenho coisas
e pessoas muito importantes com quem preciso manter um 
contato diário, então o uso ficou liberado para nós três.

As pessoas ficam admiradas com a vida que eu tenho,
e eu fico admirada com as pessoas que têm um único marido,
namorado ou amante.
Não gosto de coisa pouca, quero o máximo e tudo que esse
máximo pode me proporcionar.
Ter começado as seções de terapia me fez ver que não sou
totalmente insana, e nem tão promíscua quanto querem que eu pareça.

Pode parecer tão ridículo isso, mas desde domingo à noite
estou usando 2 alianças, uma na mão direita e outra na esquerda.
Dona San e seus dois maridos, como nossos amigos
sempre dizem! Embora eu ache dois pouco,
mas essa é outra questão que talvez eu resolva com o tempo.

» Sandra Ribeiro




sábado, 16 de julho de 2011

Eles Fizeram as Pazes!


Nem parecia que estamos no inverno, que dia lindo!
Sem nuvens, sem frio, até as pessoas nas ruas pareciam
muito mais animadas!
Acho que quando estamos bem, enxergamos as pessoas
de outra maneira, e acho que aquelas que estão felizes,
acabam nos atraindo mesmo sem querer!

Andamos pelo Pier, um grupo grande de amigos e meus filhos,
ficamos sentados naqueles degraus de madeira,
onde íamos sempre há poucos anos atrás,
e ele começou a falar sobre o nosso começo, que nem nós mesmos
acreditávamos que algum dia seria algo mais que amizade.
Ele mudou demais, e todo mundo comenta isso.
A mudança dele é por não aceitar que eu sou a mesma que ele
conheceu, ele já sabia disso mas tenta mudar o fato todos os dias.

Mas hoje o dia foi leve e feliz, achei que era o momento perfeito
 para lhe pedir uma coisa:
Pedi que ele e meu filho mais velho fizessem as pazes.
Porque os últimos 2 meses foram difíceis nesse sentido.
O clima era de tensão e parecia que iriam se pegar a qualquer instante,
e isso aconteceu uma vez, e nesse dia eu falei pra ele que se tivesse
que escolher entre um filho e um namorado, marido, noivo, amante,
qualquer um dos meus filhos viriam em primeiro lugar.

Então hoje percebi que ele estava calmo,
e era a hora de eu pedir com jeitinho para que fizessem as pazes,
e assim foi feito, mas só com uma conversa, não se abraçaram nem nada,
só voltaram a conversar cordialmente.

Meu filho é um menino calmo (27 anos), no dia da briga mais séria
ele me perguntou:
"Quer que eu vá morar com meu pai mamis?"
E eu disse a ele que eu preferia morrer a permitir que ele saísse
de casa por alguém que entrou em nossas vidas há pouco tempo.

Mas voltando a falar de hoje, que dia lindo eu vivi!
Tudo fluiu bem e de maneira natural!
Até meu soninho da tarde foi mais especial!!!

» Sandra Ribeiro

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Você dançou queridinha!


Hoje precisei da ajuda dos amigos,
e eles apareceram, muitos deles, de vários lugares.
É engraçado como pessoas que estão erradas, brigam até
o final tentando parecer que estão certas.
A queda é então maior!
Não sobra nada no lugar, e dela nada sobrou.

Há 4 anos atrás passei por uma situação parecida,
e para homenagear quem me socorreu, criei a comunidade:

"Não brinque com quem tem amigos"

Deixei de ser vingativa, mas meu senso de justiça
ainda é bem aguçado!!!
Chega uma hora que cansa ser chamada de puta.
Não sou puta, faço de graça!!!

E como sempre digo e repito, minhas contas estão todas pagas,
cada uma delas!!!

» Sandra Ribeiro






quarta-feira, 13 de julho de 2011

Sou uma Velha de cabelo Branco.



Fui com meu filho mais velho, levar meu caçula à cirurgiã pediátrica ontem,
ele precisa fazer uma pequena cirurgia e precisava
passar por essa especialista.
Na recepção do consultório, nós 3 sentados conversando
sobre desenhos animados, porque eles adoram e eu também!
De repente meu caçula diz: "Mãe fica quieta com a cabeça",
e puxou um fio do meu cabelo!!!!
E falou sem muita discrição, do alto dos seus 10 anos de vida:
"Mãe você tá ficando velha olha só esse cabelo branco!!!!"
Peguei o fio na mão para conferir, era branco mesmo, maldição!!!
Meu filho mais velho falou:
"Ah mãe, ainda vou te amar mesmo quando estiver cheia de cabelos brancos"
(grande consolo, não quero estar cheia de cabelo branco
só quero a parte de ser amada)
Ali mesmo na recepção falei para o caçula, procure por outros,
e ele ali procurando, mexendo no meu cabelo, e nada de achar
outros, porém isso não vem ao caso, um já apareceu,
então os outros não demorarão a chegar!!!!
O tempo passou, voou, envelheci e cabelo branco é inevitável,
sou tão vaidosa com meu cabelo cacheado, escuro, brilhante,
bem cuidado, nunca viu uma química, nada de tintura,
nada de chapinha, nada, nadica dessas coisas!

Voltamos pra casa e falei para "ele" o companheiro,
sobre o ocorrido, sobre meu cabelo branco,
ele sem prestar muita atenção porque estava jogando vídeo game, falou:

"Não se preocupe com isso, minha mãe também tem!"
(a mãe dele é mais nova do que eu, mas ela não é eu.)

Ahh que raiva, já estou me vendo com a cabeça toda branca,
e os que hoje me chamam de San, passarão a me chamar de Vovó San.

» Sandra Ribeiro





domingo, 10 de julho de 2011

Horas Tortuosas...


Após termos ficados separados por 2 dias, porque a avó dele
havia sido hospitalizada, eu deveria ter ido junto no dia?
Talvez...E um talvez bem grande, porque tenho outro alguém
e também meus filhos, é preciso deixar tudo ajeitado antes.
Mas não nego que gostei dos dois dias, eu sabia quem eu queria ver,
o que eu queria falar, e para onde queria ir.
E sabia também que teria consequências, as de sempre, mas
estou acostumada a elas.
A dor física não me atinge como da primeira vez,
porque na primeira vez a gente pensa que é um sonho,
abre os olhos e se pergunta se aquilo realmente aconteceu,
e percebe que aconteceu sim, e que doeu!
Aos poucos ou você se acostuma ou luta.
Acostumei-me com a dor, espero por ela e desejo que acabe logo,
não suporto é a tortura, quero ver logo o fim.

Mas palavras me ferem mais, e as ameaças que sempre penso
irão se cumprir.
Pelo menos a única pergunta que me foi feita na tarde de sexta feira,
quando ficamos a sós na casa da mãe dele foi:
"Tu se arrepende de alguma coisa que tenha feito nesses 2 dias San?"
(sabendo que ele já sabia de tudo)
Desviei os olhos de seus olhos azuis ameaçadores;
"Não me arrependo de nada".

Nas horas tortuosas que se seguiram,
 não precisei responder mais nenhuma pergunta...

Adoro Bertioga, mas esses dias está cinza demais.

» Sandra Ribeiro

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Pessoas Obesas são felizes? Ou fingem ser.


Ontem fui ao cinema com a turma aqui de casa, à tarde quando o
shoping é menos movimentado, odeio shoping e sempre evito
ir até eles, porém amo cinema e livrarias, e os cinemas e as
livrarias estão lá dentro.

Chegamos cedo à seção, compramos as guloseimas,
não pra mim, porque não como em cinema, mas meus
filhos e amigos adoram pipoca, refrigerante e doces
enquando vêm o filme.

Já acomodados nas poltronas lá no alto, o melhor
lugar para se ter uma boa visão, eu sempre a observar
as pessoas que chegam, se estão sozinhas, acompanhadas,
se parecem felizes, que tipo de bolsa estão carregando,
sou fascinada por bolsas e adoro observá-las por ai!

Entrou um grupo de pessoas obesas, eram 9 deveriam
estar participando de um encontro, de algum grupo,
coisa assim, porque pareciam amigos e felizes, falavam
bem alto, e riam, como riam!!!!!

Acho isso deselegante em locais públicos, 
gosto mais de descrição, enfim.

Os Obesos sentaram na primeira fila, onde há aquelas
poltronas reservadas a eles, é o pior lugar do cinema.
Acho que o mundo de maneira geral não pensa nos obesos,
ou querem a todo custo que eles emagreçam, porque para
eles tudo é muito restrito.
Colocaram nos coletivos assentos especiais para Obesos,
porém o tamanho da catraca, continua o mesmo,
e com certeza quem está muito acima do peso fica entalado.
O que é humilhante.

Sem contar as piadas que são obrigados a ouvirem,
a dificuldade para encontrar roupas e vestir-se bem,
os problemas de saúde agravados pelo excesso de peso.

Meu irmão tem Quiosques na praia, e um funcionário dele 
reclamava quando chegava uma pessoa muito Obesa,
dizia assim: lá se vai mais uma cadeira.
Hoje em dia meu irmão comprou cadeiras plásticas
daquelas mais resistentes e deixa separadas para
servir às pessoas com sobrepeso.
Porque ele ainda não teve dinheiro suficiente para substituir todas.

O que quero dizer com esse post, é que a obesidade não deve ser
mascarada com a falsa felicidade, é um problema e quem a tem
deveria procurar ajuda, reeducação alimentar é o caminho.
Ninguém morre por comer menos, ou ficar algumas horas sem comer.

Esse erro de não admitir que precisa de ajuda, é algo que também cometo,
não em relação à obesidade, mas em outros aspectos,
já me perguntaram: "Por quê seu olho está roxo San?"

Eu respondi: "Escorreguei e bati na quina de um móvel"
Se eu pedir ajuda eu morro com certeza,
mas para quem está acima do peso, se pedir ajuda
só estará buscando ser feliz de verdade, jogando fora
a gordura que não serve pra nada...

» Sandra Ribeiro

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Férias de julho!


Finalmente, uma pausa na rotina de todo dia,
horário de acordar, horário de almoçar,
horário de levar e buscar o caçula no colégio.
Primeira semana de férias, os jovens falam "recesso",
férias era na época que eu estudava.

Cada filho meu irá para um canto,
e eu, bem, vamos decidir para onde iremos.

No nosso relacionamento estamos precisando desta pausa
só nossa, é um momento que quero investir e melhorar a
parte que cabe a mim, o clima andou pesado e quero corrigir,
sem muita gente por perto, só nós três, o triângulo.
Quero uma oportunidade para dar o melhor de mim,
reconhecendo que é o que eu escolhi e que não tem sido bom.

Depois que eles acordarem vamos discutir juntos,
para onde iremos, são 5 cidades como opção,
mas quer saber, nem quero opinar, desde que estejamos em
paz e harmonia, desde que possamos ser um trio que se completa...

Poderia ser até mesmo aqui em Santos,
mas com tanta gente ao redor, e tantas opiniões, fica difícil...

» Sandra Ribeiro

segunda-feira, 4 de julho de 2011

deus é contra o Amor e a favor do Espancamento?


Ontem fomos à uma doceria, e minha sogra encontrou um
casal de pastores amigos dela, e me apresentou como
"companheira de seu filho."
Sem cerimônia, a pastora pediu que dona Isabel corrigisse
a frase, que o correto seria: Esposa.
Dona Isabel com sua calma, explicou que não somos casados,
que dividimos um lar apenas.
O que se seguiu a isso, foi um discurso lamentável e desnecessário,
sobre um tal de pecado da Fornicação, por dentro eu ria,
ao ouvir tamanhos absurdos.
Para resumir, enquanto meu lindo pedaço de bolo perdia o gelo,
ouvi coisas do tipo:
"Se você que não é casada e chegar ao céu junto com um assassino,
ele entra no céu e você não, porque ele se arrependeu mas você
não sendo casada, e morando junto com um homem,
não será perdoada e irá para o inferno.
E continuou; se um casal se ama, e moram juntos por 30 anos,
sem oficializarem esta união, estarão em pecado, porque mesmo
existindo amor, estarão contra as normas de deus."

Infelizmente sou dotada de extrema educação, e preferi não
discutir sobre os motivos pelos quais não me casei
com um menino que tem apenas 23 anos de idade.
Preferi também omitir, que junto conosco vive um outro menino
mais crescido, que tem 30 anos de idade.

Deixei-os lá falando sobre o que é ou não pecado, e fui me sentar
na outra mesa onde estavam o "menino mais velho",
junto com meus filhos.

Meu irmão é vizinho de uma família evangélica,
quase que diariamente as filhas deles são espancadas,
meu irmão que tem um imenso coração certo dia foi até lá,
porque lhe doía ouvir os gritos das meninas,
o pai, evangélico falou que corrigir os filhos com surras,
é ordem de deus, que está na bíblia inclusive, algo sobre um cajado,
ou sei lá o que, nunca li a bíblia então só sei o que ouço falarem.

Meus 4 filhos têm a idade de :
Gabriela: 27 anos
Caio (adotivo): 27 anos
Lay: 17 anos
Willy: 10 anos

Nunca levaram um tapa, são todos muito mimados,
dizem que sou boazinha demais com eles,
mas eu jamais os espancaria, ainda que eu não fosse Ateia,
se eu visse na bíblia algo como usar cajado pra bater nos filhos,
eu rasgaria esse livro.


» Sandra Ribeiro


sábado, 2 de julho de 2011

Luto, é só uma palavra, a dor não tem nome.


Em junho, dia 1° fez um ano que perdemos a nossa filha.
E dia 27 de junho fez 1 ano que nos assumimos.
Foi um começo em meio à dor que só nós dois sabíamos
o tamanho dela, as pessoas de fora diziam que podiam
imaginar, mas sentir mesmo foram eu e ele.

A dor doeu em nós dois, mas ele acha que a dele é maior
porque mantém em seus perfis a palavra Luto, antes do nome.
Palavra que nunca coloquei, o luto foi aqui dentro de mim.
O luto foi vê-la sem vida, parecendo uma bonequinha
tão perfeita, imóvel e eu não queria sair do lado dela,
e as enfermeiras queriam me tirar dalí, como se eu pudesse
causar algum mal à minha filha morta.

Esta semana meu filho me levou ao cemitério,
não sei porque fui e nem porque fiquei tanto tempo.
Foram horas tristes, e quando cheguei em casa de volta,
tive que ouvir, que devido à minha demora eu estava aprontando algo,
e que ele iria fazer a transferência do corpo da nossa filha
para o cemitério onde estão os antepassados dele em Bertioga.

Apesar da idade que tenho,
apesar de todos os 4 filhos que tenho,
apesar de ter 2 netos, 
eu queria ser mãe de novo.

Sei que a Sophia nunca mais vai voltar,
e não é incrível como uma criança que só viveu 15 minutos,
foi capaz de mudar a vida de tanta gente...

» Sandra Ribeiro



sexta-feira, 1 de julho de 2011

Autorização para ser Eu!


Eu deixei que a minha falta de personalidade,
me tirasse a liberdade.

Preciso de autorização até para viver.

Autorização para dormir mais tarde.
Autorização para acordar mais cedo.
Autorização para escrever e postar...

Obedecer é mais fácil.

» Sandra Ribeiro

terça-feira, 28 de junho de 2011

Meu gosto pela leitura!


Logo que aprendi a ler, comecei a gostar de ler!
Perdoem a redundância!
Em casa não haviam livros, jornais ou revistas, meus pais diziam
que isso era supérfluo e não servia pra nada.
Eu morava em uma chácara na cidade de Campinas, rua de terra vermelha,
dessas que mancham a roupa da gente.
O bairro era novo, e não passava coletores de lixo, então todo o lixo
da vizinhança era jogado em um grande terreno vazio próximo
da minha casa, eu fazia a festa nesse lixão!
Ficava revirando o lixo em busca de coisas para ler, revistas velhas,
jornais, e até encartes de propagandas de lojas.
Eu levava tudo pra casa, e nas minhas horas vagas eu ficava lendo
tudo aquilo, falei de horas vagas, porque apesar da pouca idade,
eu era a "faxineira" da casa, e a casa era grande...
Me lembro que precisava colocar uma cadeira na frente da pia para
alcançar na hora de lavar as louças.

Quando me mudei para outro colégio, eu estava com 10 anos,
e havia nele uma biblioteca onde emprestavam livros para os alunos,
quanta felicidade poder pegar um livro e levar pra casa,
devorá-lo e viajar por suas páginas, conhecendo novos mundos,
que só me era possível conhecer na imaginação e na leitura!
Lembro-me de uma coleção que eu li e não me esqueço até hoje,
já procurei para comprar e não encontrei, era sobre a vida de uma família
pobre, eles viviam se mudando, e os títulos eram assim:
"Uma casa na floresta", "Uma casa na Campina", "Uma casa na árvore",
imaginem, até na árvore eles moraram!

O gosto pela leitura, passei para os meus filhos, nos quartos deles,
a "biblioteca" chama a atenção!
E mesmo com essa correria, e a modernidade de se ter tudo na net,
eles amam livros, e é comum estarmos todos no mesmo ambiente,
cada qual com seu livro!

Eu estou lendo neste momento:
o Labirinto de Kate Mosse.
Tem mais uns 8 na fila de espera, é que ganhei vários no meu aniversário
em abril e no dia das mães também!

Ler é tão gostoso, e nos transporta para lugares onde talvez jamais
conheceremos na realidade, mas só imaginar e no nosso íntimo
fazer parte do que o autor imaginou, já é tão bom...

» Sandra Ribeiro



segunda-feira, 27 de junho de 2011

Brigadeiro de Panela, em dia de Chuva!


Voltamos para Santos ontem depois do almoço, chovia...
E choveu a tarde toda, e a temperatura caiu.
Que saudade eu sinto do meu apartamento quando estou fora de casa.
Após conversar com todos e matar a saudade, e ouvir as
novidades que aconteceram na minha ausência, fui fazer 
Brigadeiro de Panela porque meus filhos adoram essa receita.
Brigadeiro de Panela só no nome, porque acho meio feio comer
direto da panela como gostam de fazer os jovens.
A receita que faço é maravilhosa, porque a textura é cremosa e não dura.
Copiem e façam hoje ainda:

1 Lata de leite condensado, ou 1 caixinha.
1/2 Lata de creme de leite com soro, ou 1/2 caixinha.
1/2 colher de margarina.
3 colheres de chocolate em pó, ou Nescau ou Toddy.

Leve tudo ao fogo, em uma panela de fundo grosso se possível,
não estranhem, mas fica bem líquido e vocês vão pensar que
não vai dar ponto, mas dá, pode acreditar!
Mexa sem parar, por + ou - 10 minutos, ou até desgrudar do
fundo da panela.
Distribua em tigelinhas ainda quente, ou para quem preferir comer
direto na panela, é só distribuir as colheres entre os interessados
em comer essa delícia, fica muito bom!

E também pode ser usado para rechear bolos, rocamboles, etc.

Querendo uma quantidade maior, é só ir dobrando a receita,
ontem aqui em casa eu fiz 3 receitas.

» Sandra Ribeiro

domingo, 26 de junho de 2011

Quem namora HOMEM CASADO não é inteligente!


Com certeza, como já virou regra, depois desse post vou perder amigas.
Tento controlar a minha opinião, mas meu lado conselheira,
não está conseguindo ficar de boca fechada.
Em uma modesta comunidade minha, onde estão 40.000 pessoas
em busca de conselhos, muitas, eu falei muitas, muitas,
são amantes de homens casados, e quando chega o final de
semana elas ficam reclamando da solidão, porque é lógico que os
maridos estarão com as esposas e filhos!!!!!
Acordemmmmmmm, não se deixem serem usadas assim!
Muitas dizem; "San, ele me ama".
Planeta terra chamando todas de volta!!! (PLG)
Ama nada, que amor é esse que não está junto?

Uma dessas moças que mantém romance com homem casado
tem apenas 18 anos, e sugeri a ela que largue desse cara,
sim, eu falei com todas as letras pra ela arranjar um cara livre.

Sou a favor do relacionamento a 3, a 4, 5,
ou quantos a pessoa quiser, desde que seja honesto e que todos os
envolvidos sejam livres e possam assumir a verdade que quem é casado
não pode. Morro de raiva quando vejo meninas lindas, jovens,
perdendo parte da vida com cafajestes que só estão usando elas!
Isso não é vida, isso é sofrimento, credo, abram os olhos,
tem um montão de homens livres por ai, claro que amar é outra coisa,
mas precisa mesmo amar para ter uma companhia?
Eu não amo e não vivo sozinha, não amo, mas gosto e me sinto bem
com eles, claro que eu queria amar, mas isso não acontece,
então vivo assim gostando muito!

E a minha opinião a quem aceita ser a outra, é que falta amor próprio,
são pessoas que se contentam com quase nada...
E que ainda são o motivo da desonestidade do homem 
para com a familia dele. Familia dele. Sem mais.

» Sandra Ribeiro





sábado, 25 de junho de 2011

Desenhos são coisas do diabo?


Meu filho mais velho aceitou um convite para dar aulas
de inglês para crianças em uma igreja Evangélica, como voluntário.
Ele adora fazer coisas boas pelas crianças e já fez inúmeros outros
trabalhos beneficentes.
Como estou em outra cidade, estava tc com ele agora há pouco no msn,
e ele me falou que vai parar de dar as aulas, porque não consegue
entender certos absurdos que ouviu dos seus alunos.
Para dar mais dinâmica às aulas, ele preparou o material usando
personagens de desenho animado:
Ben 10, Pokemon, Barbie, Pica Pau, Cinderela, eu vi o material
e achei tudo tão lindo e pensei que seria um sucesso.
Porque os personagens e mais a paciência e boa vontade do
meu filho, seriam no final aulas perfeitas.
Porém ele falou que ao começar a última aula ontem, que as crianças
falaram que esses personagens SÃO TODOS DO DIABO.
Que o diabo usa o desenho animado para seduzir as crianças,
e começaram a falar coisas absurdas, e dando exemplos tão descabidos,
confesso que não considero a existência do diabo,
e os desenhos que passam na TV A CABO que eu pago,
são meus e não do diabo, assim como outro dia me falaram que
a coca cola é do diabo, eitaaaaaaaaaa!
Não as cocas que eu bebo, porque se pago por elas são minhas.

Estou chateada com essa história, pelo meu filho que vai parar de dar
as aulas, e pelas crianças da igreja evangélica que parece sofrem
uma lavagem cerebral e nem podem assistir desenhos.

Ahhh convenhamos, a única coisa que vejo de errado na Cinderela
é a sua magreza, dá até uma invejinha aqui,
quem não queria ter aquele corpinho?

» Sandra Ribeiro

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Café na cama, um gesto romântico!


Como faço todos os dias, durmo à tarde, é uma regra
da qual não abro mão, é um momento tão gostoso do dia!
Nos deitamos juntos hoje à tarde, porque ele também adora dormir.
Passaram-se duas horas e acordei com um aroma de café no quarto,
abri os olhos e o vi na penumbra que estava o quarto,
segurando uma forma de alumínio nas mãos, (não temos bandeja aqui),
ele havia preparado o nosso lanche da tarde, à sua maneira,
da forma que foi possível a alguém que só entra na cozinha para comer...
Foi engraçado vê-lo com a forma e arrumando espaço na cama
para colocá-la.
O café estava frio porque ele colocou em uma jarra, disse que era
pra ficar mais bonito, as torradas estavam meio "escurinhas",
o leite em pó já preparado com algumas pelotinhas que teimaram
em não se dissolverem, tinha também biscoitos em seus pacotes,
presos com pregadores de roupas.
Mas a parte romântica da história foram as plantas, sim, ele pegou 2
galhos da samabaia da mãe dele e enfiou em um copo com água.
Ajeitou-as da melhor maneira ao lado do rolo de papel de toalha,
sim, na falta de guardanapos, ele trouxe papel toalha em grande quantidade.
Comi e bebi elogiando o gesto e as guloseimas!
Achei tão bonitinho algo que ele disse:

"San, espero que tu tenha ficado feliz, preparei sozinho e
nem chamei a minha mãe para ajudar.".

Então a tarde foi assim, e a manhã passamos catando conchas
na praia semi deserta...

» Sandra Ribeiro

quinta-feira, 23 de junho de 2011

As vezes em que somos "só nós dois"


Bertioga, litoral de São Paulo, quando estou aqui me sinto em outro mundo,
apesar de ser apenas umas 2 horas distante do meu ap em Santos.
Mas aqui, neste cantinho aconchegante e pequenino,
preparado tão carinhosamente pela dona Isabel, 
é quase um pequeno paraíso,
tamanho o número de detalhes lindos que ela carinhosamente preparou.
Seu Fernando abriu mão do seu ateliê, porque chegaram à conclusão
que eu e seu filho precisávamos de um espaço nosso quando viéssemos
passar alguns dias aqui.
Reformaram e decoraram tudo com artesanato de conchas e pedras,
e feltro e tecidos, e galhos secos envernizados...
Na janela do quarto tem tulipas de tecido feitas pela dona Isabel.
Com sobras de material para bijuterias, ela fez pendentes para as cortinas.
Do lado de fora da suíte, tem uma mini cozinha, 
nossos amigos brincam demais com esse fato:
"San, a casa de vocês é muito chique, tem até mini cozinha do lado de fora".
Sempre que chegamos a casinha está impecavelmente
 limpa à nossa espera, é raro eu cozinhar algo aqui, 
porque tenho certa dó de tirar as coisas do lugar,
e "ele" gosta que jantemos junto com sua família na casa da frente.
Ajudo a arrumar a cozinha, enquanto os homens vão pra sala 
colocar a conversa em dia, pai e filho, 
e às vezes o avô e primos, é uma família linda,
e sinto grande admiração por eles.
Acho que o fato de nunca terem perguntado a minha idade,
nunca terem questionado nada sobre o meu passado,
e nem como se deu meu envolvimento com o filho deles,
acho que tudo isso os torna admiráveis.
Eles se importam se o filho faz bem a mim, e se eu faço bem a ele.
Nos últimos meses, esse fazer bem um ao outro não tem sido tão bom,
mas a família dele não sabe.
Depois do jantar, depois da sobremesa, depois do cafezinho e da conversa
descontraída, é hora do boa noite e eu e "ele" voltamos pra nossa casinha,
ai é só entre eu e ele, e às vezes esse "a sós" me dá um certo medo.
Às vezes é lindo, às vezes é tenso, às vezes é violento,
depende do que ele viu, ouviu, procurou, achou, ou julga à sua maneira
ter achado. Mas como sempre dizem, até os que gostam de mim,
estou onde procurei estar, sair disso já é outra história.
E nesses momentos em que somos nós dois e ninguém mais,
sinto falta de quem não está aqui...

Estou sentindo um aroma de coisa pronta,
são os pães de queijo que devem estar assados,
não é isso que está me impedindo de escrever mais,
é que não me acostumo a usar notbook, sou das antigas, amo mesmo
é o meu computador de mesa.

» Sandra Ribeiro

terça-feira, 21 de junho de 2011

A culpa afinal, é minha mesmo.


Acho que eu não esperava que a cena me ferisse tanto,
sabia que cedo ou tarde iria acontecer.
Mas ali era o meu espaço, e não pensei que você
 iria até lá acompanhado.
Mesmo eu estando acompanhada, eu queria você sozinho.
Pareceu provocação, embora tenham me dito que foi
só coincidência.
Eu pedi à você que me desse uma semana para responder
ao teu pedido de um provável, talvez, quem sabe recomeço.
Eu ainda estava pensando, mas você não esperou pelos 7 dias.
No terceiro dia já quis esfregar na minha cara, a decisão que tomou
pela minha falta de coragem de assumir que sinto a sua falta,
mas sei das consequências que teria se eu mencionasse que desejo
colocar um fim no que vivo.
Sou covarde e tenho medo de sentir mais dor,
daquelas que deixaram marcas visíveis externa e internamente.

Me desculpe, mas nesse momento não consigo desejar que você seja feliz.

Eu desejo algo a mim mesma, que eu tenha algum dia força
para me libertar e não precise mais fingir que a sua presença,
e as lembranças não mexem comigo.

» Sandra Ribeiro

sábado, 18 de junho de 2011

Eu queria ir, mas não irei.


Estou esperando a autorização ou a companhia dele para ir
onde quero ir, já são 13 dias esperando.
Ouvi isso: "Te aviso quando for possível, não toque mais no assunto."
Mas eu queria ir hoje, abrir aquela porta que estou
vendo e simplesmente ir...

Não será hoje, eu sei disso.
Hoje já tem outras coisas para serem feitas,
tem a festa junina do colégio do meu filho e a noite alguns amigos virão
assistir uns filmes com a gente, desde a mudança pra cá,
será a primeira vez que recepcionaremos amigos.
Deveria ter sido no final de semana passado,
mas não imaginei que conseguiria colocar tudo em ordem tão rápido.
O apartamento está tão aconchegante,
tudo tão arrumadinho, ainda não acredito que é meu,
que eu moro aqui, e posso ficar o tempo que quiser.

» Sandra Ribeiro

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Ajudar com palavras não custa nada!


Nos últimos 6 anos, diariamente recebo depoimentos secretos
com pedidos de ajuda, conselhos, coisas assim.
Quando o assunto é mais sério, a conversa é no msn.
Tenho 3 msn, um para tc com quem conheço pessoalmente,
outro para tc com membros das minhas comunidades e leitores
dos meus blogues, e outro que não vem ao caso porque uso.

Voltando na questão dos conselhos, me sinto importante
pelo fato de tantas pessoas confiarem em mim,
e acham que tenho a capacidade de ajudá-las,
embora seja só com palavras, eu gosto de fazer isso.

Os problemas são os mais variados, mas a maioria é sobre amor
não correspondido, traição, familia que não aceita a opção sexual,
pessoa que não tem certeza sobre a própria sexualidade, etc.
Eles vão me contando e eu vou aconselhando.
Não sei se o que falo é o mais correto, porém recebo inúmeros
agradecimentos de pessoas que dizem seguiram meu conselho.
Ontem a noite eu estava tc com uma menina, que se apaixonou
 por outra menina e morria de medo de contar aos seus pais,
me falou que a matariam, eu disse a ela que esconder sentimentos
não é bom, e que se os pais a amassem ficariam do seu lado.
Passaram-se uns dois meses e ontem ela me falou que está namorando
a tal menina, e que contou para sua mãe:
Pra resumir o que ela me contou foi assim:
Ela: "Mãe, eu gosto de mulher, não gosto de homem,
eu to apaixonada pela fulana".
A mãe: "Vem aqui filha, deixa eu te abraçar"

Aqui do outro lado da telinha, já chorei e sofri muito ouvindo
essas histórias e fazendo a minha pequena parte,
de tentar ajudar com as minhas palavras.
Tem algumas dessas pessoas que são como filhos virtuais pra mim,
acho que tenho idade para ser mãe de 90% deles.

Agora neste momento, vou logar meus perfis e responder
os depoimentos secretos, com palavras de quem
já viveu tanta coisa nessa vida...

» Sandra Ribeiro

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Adeus meu amigo...

Quando eu apanhei pela primeira vez,
o primeiro que viu meu olho roxo foi você.
Quando eu pude voltar pra casa livre,
você foi o primeiro a saber.
Quando eu me apaixonava, logo corria pra te contar.
Quando engravidei da Sophia, te falei bem no comecinho.
Quando perdi a Sophia, você estava lá me dando apoio.
Me ajudou tanto com as suas palavras.
Quando eu falei pra você que queria ficar com o pai da Sophia,
você foi o primeiro que ouviu esse segredo.
Não só esse segredo, mas tantos outros.
As coisas sérias e as minhas aventuras, você estava lá.

Não sei como se deu o nosso afastamento,
mas há poucos dias eu precisei de você,
e você não deu muita importância ao que lhe pedi.
Tomei uma atitude que fez você saber como me senti.
Eu fiquei magoada, e pude descobrir que somos muito parecidos.
Temos em nós uma prepotência que não conseguimos esconder.

Então eu quero te dizer, que você irá perceber que eu sumi,
porque eu NUNCA mais vou te procurar,
e nem responder NENHUM recado teu.
Você vai continuar sabendo da minha vida,
não por mim, mas por nossos amigos em comum.
Você foi um bom amigo, mas não te considero mais.
Sei que irá sentir a minha falta e irá se arrepender de não ter feito
aquele mínimo favor, eu também irei sentir a sua falta.
Mas você sempre me falou:
"San como você consegue ser tão querida e ter milhares de amigos?"

Então meu querido, agora tem um a menos,
que é você.

Boa sorte na sua vida.
Obrigada pelas tantas horas que durante alguns anos
dedicou a mim.
Eu me dediquei a você também, mas isso não importa mais.
Acabou.

» Sandra Ribeiro


quarta-feira, 15 de junho de 2011

Odeio cozinhar!


Dizem que cozinho muito bem, e faço de tudo um pouco.
Quando são pratos especiais que me pedem, 
depois de pronto tiro fotos e posto no orkut,
isso é coisa de gente pobre com uma câmera digital, então
estou fazendo a coisa certa, confirmando a minha pobreza.
Ontem fiz o almoço com tanta raiva, porque eu não queria fazê-lo,
e depois ouvir tantos elogios, me deixou com mais raiva ainda.
Dizem que quanto mais raiva eu tenho de cozinhar,
mais deliciosa fica a comida que preparo.
Ontem foi: Arroz, abobrinha, bife, purê de batatas e milho refogado.
Odeio casa com cheiro de fritura, odeio tocar no alho ou cebola,
faço tudo com as panelas muito tampadas, que é para não sujar o fogão.
(Ninguém me obriga a cozinhar, ninguém reclama quando não cozinho,
mas pelo fato de eu não trabalhar eu me sinto na obrigação.)
Nosso jantar é sempre lanche, acho que iria preferir a morte
se tivesse que cozinhar 2 vezes no mesmo dia.
Ainda bem que agora, morando nessa avenida, ta sobrando
opções de lugares legais para comprarmos algo rápido para o jantar.

» Sandra Ribeiro

terça-feira, 14 de junho de 2011

O tempo passa para todos igualmente...


Ontem estávamos deitados na nossa cama, 
vendo o filme Uma Carta de Amor na HBO²,
embora ele não seja romântico, me fez companhia,
e eu falei: daqui há alguns anos (poucos anos),
estarei velhinha e você vai me trocar por uma mais nova.
Ele respondeu:
"Eu também irei envelhecer o mesmo número de anos que você,
então te trocar ou te esquecer está fora dos meus planos."

Segurei a mão dele mais apertada na minha,
isso me emocionou e achei tão bonitas as palavras.
Porque entre casais onde existe uma considerável diferença de idades,
a insegurança com o passar dos anos é normal.
E os anos estão passando, e continuamos dividindo a vida em comum.

» Sandra Ribeiro